MINI

Irmã de ministra do Turismo ganhou um Corolla em troca de contrato, diz MP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Djelany Machado, irmã da ministra do Turismo, Daniela Carneiro (União Brasil), foi presenteada por um empresário que venceu uma licitação suspeita na cidade de Belford Roxo (RJ) em 2018, segundo o MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro).

A cidade é comandada pelo prefeito Wagner dos Santos (União Brasil), o Waguinho, marido da ministra nomeada por Lula —ela é conhecida como Daniela do Waguinho. O casal apoiou Lula durante a campanha eleitoral em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, onde o ex-presidente Jair Bolsonaro venceu em todos os municípios.

O QUE DIZ O MP-RJ?

Djelany Mote de Souza Alves Machado recebeu um carro modelo Corolla de um “sócio oculto” da Master Rio Construções;

O presente seria um agradecimento por uma licitação vencida pela empresa;

De 2018, a denúncia afirma que Waguinho exerceu “liderança delituosa”.

“CLARA DIVISÃO DE VALORES SUPERFATURADOS”

A denúncia do MP, noticiada pelo Metrópoles e confirmada pelo UOL, afirma que o Corolla foi transferido a Djelany “em contra partida como presente”, em proveito do próprio empresário e “também dos agentes políticos” mencionados.

Segundo o Tribunal de Justiça do Rio, o caso ainda tramita na Justiça de forma sigilosa.

O MP disse que Waguinho cometeu os seguintes crimes:

– Fraude a licitações;

– Organização criminosa;

– Dispensa ilegal de licitações;

– Concussão (servidor que exige vantagem indevida);

– Peculato (crime cometido por servidor que se apropria de bens púbicos).

O UOL procurou o Ministério do Turismo e a Prefeitura de Belford Roxo, questionando Waguinho e Djelany (lotada na Secretaria Municipal de Assistência Social, Cidadania e Mulher) sobre as investigações do MP-RJ, mas não recebeu resposta até a publicação desta reportagem. O espaço segue aberto.

Daniela do Waguinho foi escolhida ministra do Turismo em negociação com o União Brasil, partido que Lula tenta atrair para a base aliada do governo no Congresso.

O grupo político de Daniela e de seu marido mantém, há ao menos quatro anos, vínculos com a família do ex-PM Juracy Alves Prudêncio, o Jura, condenado e preso sob acusação de chefiar uma milícia na Baixada Fluminense.

A ex-vereadora de Nova Iguaçu (RJ) Giane Prudêncio, mulher de Jura, fez campanha eleitoral em 2018 e 2022 para Daniela do Waguinho à Câmara dos Deputados.

Jura cumpre pena de 26 anos de prisão —atualmente em regime semiaberto— pelos crimes de associação criminosa e homicídio. O miliciano chegou a ser nomeado na Prefeitura de Belford Roxo para um cargo comissionado na Secretaria Municipal de Defesa Civil e Ordem Urbana em agosto de 2017. No período, Waguinho já estava no comando do Executivo municipal.

O União Brasil também assumiu o Ministério das Comunicações, com Juscelino Filho, e o da Integração e Desenvolvimento Regional, com Waldez Góes.

TOP STORIES