Automobilismo

Esportes

Fórmula 1

Honda

Adrien Van Beveren no Dakar pela primeira vez em 14 anos sem a Yamaha: 'Não tive problemas de adaptação à Honda'

adrien van beveren no dakar pela primeira vez em 14 anos sem a yamaha: 'não tive problemas de adaptação à honda'

Adrien Van Beveren no Dakar pela primeira vez em 14 anos sem a Yamaha: ‘Não tive problemas de adaptação à Honda’

A três dias do fim da edição de 2022 do Dakar, Adrien Van Beveren liderava a geral. Na edição de 2018 também liderou a tabela durante quatro dias. Agora tenta-se habituar à Honda após 14 anos a competir no Dakar com a Yamaha.

‘Regressei do Dakar a dizer a mim mesmo que não podia parar apesar da retirada da Yamaha, equipa pela qual competi durante 14 temporadas. Tive a confirmação de que estava certo em acreditar no meu potencial. Pensei que poderia competir de Honda em Abu Dhabi, mas as coisas demoraram mais tempo do que eu pensava. Fiquei frustrado quando regressei para o Rallye du Maroc mas aliviado ganhei a segunda etapa. Foi a primeira vez na minha carreira que troquei de equipa, e fiz questão de provar à Honda que tinham feito uma escolha sensata ao recrutarem-me. Isso deu-me confiança na moto, que estava a funcionar bem, e em mim, no sentido em que ainda tenho o que é preciso para ser competitivo’, disse o francês que nesta edição compete pela Monster Energy Honda Team e por quem já ganhou etapas em eventos de rally-raid este ano.

A adaptação à nova moto está a correr bem, assume Van Beveren, que mantém intacto o ‘respeito’ que tem pelo Dakar:

– Não tive problemas de adaptação à extremamente competitiva Honda de fábrica. Especialmente em piso mais duro, como descobri em Marrocos. Hoje, não tenho qualquer apreensão na véspera de uma corrida, seja ela com mais rochas ou areia. Penso ter reunido mais alguns elementos para ter sucesso com a Honda, mas não estou no modo ‘agora ou nunca’. Quero continuar passo a passo. Um resultadono pódio seria espantoso, nunca o consegui. Ganhei recentemente etapas em Marrocos e ganhei na Andaluzia, o que é bom. Mas sei que o Dakar está uns degraus acima, e, acima de tudo, há que respeitar este rali porque podem acontecer muitas coisas. De facto muita coisa vai acontecer e eu estou pronto.

TOP STORIES